Mulheres alemãs fazem vídeo contra a imigração em massa e violência sexual



Um grupo chamado 120 Decibéis, postou um vídeo nesta semana em que várias mulheres falaram nomes de recentes vítimas de violência sexual cometidas por imigrantes vindo do Oriente Médio e norte da África.

As mulheres se referem no vídeo ao caso de uma jovem chamada Mia, que foi violentada  até a morte por seu ex-namorado, que era um requerente de asilo na cidade alemã de Kandel. Também foi falado de Maria Ladenburger, que foi estuprada e morta por imigrantes que mentiram sobre suas menoridades. Outro caso foi de Ebba Akerlund , de 11 anos , que foi atropelada por um caminhão durante o ataque terrorista de Estocolmo, Suécia, no ano passado.

"Elas poderiam ser eu e eu poderia ser elas", dizem as mulheres. "Os infratores estão em toda parte. Ao andar por um parque, quando chegamos em casa após o trabalho, enquanto aguardamos o ônibus, não estamos seguras, continuam.

As mulheres responsabilizaram a imigração em massa, ao afirmarem que as fronteiras não são seguras, que as autoridades não tem ideia de quem vem ao país e "se recusam a deportar criminosos".

"Por causa das políticas de imigração, logo teremos de conviver com a maioria dos jovens que vêm de sociedades arcaicas, sem direitos para as mulheres", uma das mulheres estados. 

O grupo pede que as mulheres da Europa se levantem contra a migração em massa, prometem agir e declaram que seu movimento # 120db é o "#MeToo real".

A hashtag trouxe muitos comentários nas redes sociais como no Twitter, seja apoiando o movimento, mas também criticando-o. Uma mulher da Alemanha, rotulou o movimento "etnosexismo".


Mulheres alemãs fazem vídeo contra a imigração em massa e violência sexual Mulheres alemãs fazem vídeo contra a imigração em massa e violência sexual Reviewed by Unknown on 01:30:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.