Primeiro-ministro espanhol se reúne com George Soros, o aliado do separatismo catalão e defensor da imigração


De acordo com a OKDIARIO, o novo primeiro ministro do Reino da Espanha (presidente do governo), Pedro Sánchez, do partido socialista PSOE, reuniu-se na tarde da última quarta-feira (27/07) em Moncloa, sede central do governo da espanhol, com o guru da especulação financeira, o bilionário húngaro George Soros. 

Por volta das sete da tarde, Sánchez e Soros começaram a reunião, que não estava marcada na agenda pública do governante espanhol. A conversa durou cerca de uma hora e meia. No encontro, havia outras duas pessoas não identificadas que poderiam ser consultores financeiros. 

Além de ser famoso por sua vasta fortuna avaliada em 24 bilhões de dólares (Forbes), o bilionário George Soros é conhecido por suas políticas globalistas, como a defesa da abertura das fronteiras, a imigração ilegal em massa na Europa, o direito ao aborto, a legalização das drogas, a eutanásia, o feminismo, o controle de armas, o golpe separatista, entre outros. 

Nos últimos anos, especialmente após a crise de 2008, Soros vem acumulando ativos em empresas espanholas de diferentes portes e em diferentes setores. A FCC ou a Endesa têm sido alvo de investimentos da Soros, especialista em entrar em mercados em crise para aproveitar a onda de recuperação e obter enormes benefícios. 

Agenda globalista de Soros incentiva a secessão catalã.

Com o objetivo de fortalecer o movimento independentista da Catalunha, Artur Mas, político catalão, contratou, através do Conselho de Diplomacia (Diplocat) e da embaixada da Catalunha em Nova York, o lobby internacional do Independent Diplomat (ID), fundado em 2004 pelo diplomata britânico Carne Ross, mas financiado por Open Society Foundations, uma das empresas supostamente filantrópicas de Soros. 

Independent Diplomat (ID) é a mesma instituição que desenhou o marco legal para a autodeterminação do Saara Ocidental - antiga colônia espanhola - Sudão do Sul e Kosovo. Ele também aconselhou os rebeldes sírios que enfrentam o presidente Bashar Al Asad em 2013. Mas as relações entre o DI, que opera sob os auspícios do bilionário americano nascido na Hungria, e Artur Mas não são exclusivamente filantrópicas. ID, em dois anos chegou a receber do governo catalão 1,6 milhões de euros. 

De acordo com o jornal espanhol La Vanguardia, em 2014 a fundação de Soros financiou organizações que defendem e promovem o separatismo na Catalunha. Através da Open Society Initiative for Europe, o globalista doou 27.000 mil dólares ao Consell de Diplomàcia Pública de Catalunya (Diplocat), organismo criado pela Generalitat da Catalunha (liderada por independentistas) com a participação de vários organismos privados; e 24.949 mil dólares ao Centre d’Informació i Documentació (CIDOB), um think tank tendencioso ao movimento separatista.

Carles Puigdemont, o antigo presidente do governo catalão,  não “doou” dinheiro para a instituição de Soros, mas continuou a manter relações com a Open Society. Inclusive, O Congressista reportou há alguns meses, que a Open Society inaugurou esse ano o seu primeiro escritório na Europa, na cidade de Barcelona,  o 'Espai Societat Oberta' (Espaço da Sociedade Aberta). A escolha da capital da Catalunha como sede, o nome da instituição na língua catalã e o investimento em movimentos separatistas, mostram bem de que lado o senhor Soros está quando se fala de independentismo catalão.  
Primeiro-ministro espanhol se reúne com George Soros, o aliado do separatismo catalão e defensor da imigração Primeiro-ministro espanhol se reúne com George Soros, o aliado do separatismo catalão e defensor da imigração Reviewed by Marcela Vasconcelos on 00:58:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.