Sorria, você está sendo censurado

Por Anderson Rodrigues
Jovem Conservador

A coisa mais comum hoje em dia é estarmos vidrados por horas em nossas redes sociais, seja por trabalhar com elas ou só por simples e pura diversão. Com o avanço da tecnologia, nos tornamos totalmente dependentes destas plataformas que já fazem parte fundamental de nossas vidas, e que se ficarmos dias sem usufruí-las até parece que algo está faltando.

Vivemos também - como havia escrito em artigos anteriores a este - tempos de total polarização de temas relacionados a política em termos gerais. Isso possibilita que todos nós tenhamos e expressemos nossa opinião particular sobre todos assuntos, mesmo que nada sabemos ou podemos agregar. Isso não é um fenômeno exclusivamente do Brasil, é uma onda mundial de pitacos e opiniões sobre todos os assuntos e problemas do mundo.

A internet, mais precisamente o Facebook, tornou-se uma potência em todos os parâmetros, tanto de usuários quanto de investidores ao redor do mundo. A plataforma é hoje a mais usada no mundo e se tornou indispensável na vida de muitas pessoas que fazem da internet o seu escritório e principal divulgador de trabalhos, ou seja lá o que for. O fato é que o Facebook tornou-se uma maneira e uma forma de trabalho informal.

No momento em que assuntos importantíssimos se chocam com a polarização global da opinião pública, o Facebook se tornou o maior fornecedor de notícias do mundo, possibilitando que pessoas desconhecidas e fora de grandes veículos de comunicação tivessem atenção de milhares de pessoas, podendo influenciar diretamente em decisões sociais, políticas e econômicas nos respectivos países ou estados. A classe falante até então era totalmente monopolizada pela esquerda. Com o crescimento do conservadorismo em todos os países, a grande mídia perdeu espaço para “pequenos” veículos de comunicação via Facebook que causavam e continuam causando estragos gigantescos no establishment, rompendo os interesses monopolistas.

Nos Estados Unidos, um dos grandes responsáveis pela vitória de Trump foi o Inforwars, de Alex Jones, que detonava diariamente a grande mídia americana e também os democratas, sendo assim um dos maiores influenciadores das eleições americanas. Obviamente tratava-se de tempo para que o Facebook, YouTube e outras plataformas tomassem suas decisões políticas e derrubassem o Inforwars. Esse é apenas um simples exemplo de tantos outros que estão acontecendo no mundo. E detalhe: todos que estão sendo censurados são de viés conservador e/ou liberal.

Agora, o Brasil, prestes a eleger seu novo presidente, está sofrendo influência direta do Facebook com suas políticas falaciosas de barrar as “FAKE NEWS”, que não possuem nenhuma base, e simplesmente derrubam tudo que convém e o que não corresponde ao discurso politicamente correto. Se páginas de esquerda estivessem sido destruídas, tudo seria noticiado na grande mídia e protestos se formariam ao redor do país movidos por artistas globais e “intelequituais”. O que está acontecendo é gravíssimo. Estão construindo um muro eletrônico em nossas vidas. Acordem!
Sorria, você está sendo censurado Sorria, você está sendo censurado Reviewed by O Congressista on 22:36:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.