Jovem do Piauí explica em entrevista complicações para direita no Nordeste


Por Wilson Oliveira

As pesquisas mostram que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) contraria todos os prognósticos que insistiam em colocar um teto nas suas intenções de voto e cresce sem parar rumo à vitória. Mas Fernando Haddad (PT) desponta como principal adversário para levar essa disputa para o segundo turno.

A força do candidato petista surge principalmente na região Nordeste, onde o partido possui governos estaduais e prefeituras - e onde Lula preserva uma legião de adoradores e fãs, que não abrem mão de votar em quem o ex-presidente, hoje um presidiário criminoso, indicar.

Nessa entrevista com o jovem Antônio José, do Piauí, O Congressista traz um panorama mais detalhado do quanto de trabalho a direita, seja conservadora ou liberal, ainda terá na região para disseminar suas ideias e seus conceitos.

Como está a eleição para presidente? Quem tem mais popularidade no Piauí, Ciro Gomes ou Fernando Haddad?

- Olha, aqui na capital é muito grande a mobilização que se faz em torno do Ciro Gomes. Claro, o Ciro com aquela economia de retórica, discurso bonito e boa oratória, consegue enganar as pessoas que são, digamos, muito "descoladas" para votar no Lula ou Haddad, se é que você me entende (risos). Aquelas pessoas que têm consciência de que o governo do Lula foi ruim e não aceitariam votar no Haddad por ser mandado do Lula, porém acreditam que o Ciro seja a "mudança intelectual" que o Brasil precisa. Mas no interior a coisa muda, é claro. No interior, o atual governador está percorrendo todas as cidades para ter o apoio dos prefeitos, e é impressionante como tanto os prefeitos da situação quanto os opositores estão com ele. Ou seja, não existe oposição, e como o Wellington Dias é um petista de carteirinha, com certeza ele pode puxar muitos votos para o Haddad por aqui. O cenário para presidente é um tanto incerto se comparado ao cenário para governador. Porém, acredito que o Ciro tem bastante votos na capital, e Haddad nos interiores.

O que você tem a dizer da pesquisa para presidente só com eleitores do Piauí?


- Considerando que Wellington Dias tem praticamente 40%, então é o que eu esperava mesmo. Bolsonaro com 13% não me deixa tão animado porque Haddad tem 41%, então a vantagem está toda para ele. Só que foi um aumento considerável, se tratando de Nordeste, que o acesso à informação não é tão fácil, e considerando que para a pessoa apoiar o Bolsonaro ela tem que pesquisar o suficiente para se desfazer de toda a narrativa da mídia. Então foi um aumento considerável.

E como está a eleição para o governo do Piauí? Você possui candidato?

- Uma pequena representação de como está a política no Piauí:



- O candidato à direita é do PSL, Fábio Sérvio. E até onde conheço está me convencendo a ter meu voto. Tirando a parte dos memes do vídeo, dá pra ver como o atual governador comanda as coisas por aqui.

Existem críticos ao governo que possuam alguma fama?

- Poucas pessoas fazem críticas ao governo. As que conheço são Danilo Damásio, que é um empresário importante daqui, e a página de comédia "Teresina Comedy News", Que é gerida por "Bob Nunes". Ele que ficou famoso por queimar livros de youtubers no YouTube. Ele é muito revoltado com a política daqui, e usa a página no Instagram dele para criticar o governo e seus políticos, o que pra mim já faz muito mais do que toda a imprensa junta. Como você pode ver, é um foco de resistência extremamente pequeno, inacessível para a maioria esmagadora da população.

Como a imprensa do Piauí trata os casos de corrupção do governador Wellington Dias, do PT?

- Os governantes que fazem parte da política do Piauí são os mesmos desde o primeiro mandato do Wellington Dias, e a quantidade de escândalos que já aconteceram por aqui é absurda. Vários empréstimos foram feitos pelo governo para fazer a duplicação das principais saídas de Teresina para o sul e para o litoral (duplicação que não é nem 10 km cada), e até hoje não foram concluídas. No porto do litoral foram feitas partes da obra total, porém a parte que foi feita está irregular e já em deterioração, sendo que essa polêmica saiu no mesmo período em que saiu a notícia de que a Dilma construiu o Porto de Cuba. Então todos por aqui ficaram questionando por que um porto lá e não um aqui. Esses são só alguns exemplos, tem muito mais. Porém, só falei desses para mostrar que se a imprensa quisesse passar 24 horas mostrando o que o estado do Piauí poderia ter e não tem, e a quantidade de dinheiro gasto nesse processo, ela poderia, pois matéria não falta. Por outro lado, o que se observa é que a mídia continua falando apenas superficialmente, com aqueles discursos "ah, poderia ter sido feito mais", "poderia ter investido mais" etc.

Como é a situação da imprensa no Piauí? Há espaço para conteúdo independente?

- Da parte de jornalistas, da mídia mesmo, são poucos. Aqui tem poucos canais locais, são apenas quatro os mais importantes. Tem a Clube, ligada à Globo. Esta é a mais "imparcial", até porque a própria Globo engessa o formato deles, que é bem semelhante em cada estado. Tem a Cidade Verde, ligada ao SBT, essa sim tem grande grade de programação independente, assim como a "Meio Norte", que era ligada à Band, porém hoje é independente, e a "Antena 10", que é ligada à Record. Essas três, que têm uma programação significativamente independente, na maioria do tempo é composta por programas de notícias, e nesses programas os jornalistas deixam suas opiniões. E é clara a tentativa de manipulação da população.


Os veículos de comunicação do Piauí possuem preferência por políticos da região?

- Determinados canais tendem a ser mais "benevolentes" com alguns políticos do que com outros. Por exemplo, o senador Ciro Nogueira era chamado pela Antena 10 como "senador X", pois teve um tempo (por volta do período da eleição passada pra presidente e governador) em que ele saiu com um processo em que a Antena 10 estava proibida de falar seu nome, então eu nem preciso falar que todo dia os jornalistas da Antena 10 falavam tudo de ruim que poderia ser associado ao "senador X". Mas era tudo mesmo. Contudo, um tempo depois, não sei bem se o Ciro retirou o processo, ou o que aconteceu, os jornalistas da Antena 10 falavam dele como o melhor senador do mundo, mostrando as emendas que ele trouxe, os milhões "investidos" aqui por ele... Então aqui a mídia é descarada mesmo, é na cara dura, e cada um dos canais de imprensa tem seu político "favorito".

E não há escapatória com a internet, né...

- A internet em Teresina já é precária, e nos interiores pode-se dizer que é praticamente inexistente. A única fonte de informação mais isenta que conheço é o rádio. Nele, eu vejo que os jornalistas têm um pouco mais de liberdade, porém é bem pouco mesmo. E isso decorre predominantemente do formato de jornal que é mais popular aqui, em que o programa permite muita participação popular por meio de ligações. Aqui em Teresina, como a população tem mais acesso à informação, existe uma resistência maior ao establishment governamental. Porém, percebe-se que mesmo aqui muitas pessoas têm aquela velha mentalidade de assistencialismo governamental, de acreditar em político, etc. Então, por exemplo, acontece muito de uma pessoa ligar e praticamente xingar todos os políticos daqui, e na próxima ligação a pessoa defender os mesmos xingados como sendo os melhores governantes do mundo. Mas fora de Teresina a mídia é precária, poucas cidades têm telejornais locais, e as rádios têm pouco alcance. E é muito difundido o uso de antenas parabólicas, então quem está no interior praticamente assiste à programação de Teresina ou nacional.

E se algum veículo de comunicação quiser se rebelar?

- Basicamente, eles perdem verba de propaganda do governo ou influência política. Várias pessoas que têm cargos importantes dentro dessas emissoras de TV fazem parte do governo, além disso, quem ousar ser contra a ordem acontece isso que vou mostrar com uma imagem:


E como você vê a postura dos jovens em Teresina que possuem acesso à informação? Eles também possuem esse esclarecimento igual ao seu ou preferem ficar na zona de conforto fazendo vista grossa?

- O que eu vejo é que o pensamento esquerdista hoje é menor do que já foi, principalmente após o impeachment da Dilma e ascensão de Bolsonaro. Mas a esquerda ainda domina. É muito comum ver jovens pedindo candidatura do Lula, dizendo que foi golpe, que ele é preso político. E, além disso, é comum também muitos apoiarem candidaturas de políticos e fazer propaganda pedindo votos para eles. Mas a situação está mudando, só que em passos muito mais lentos do que em lugares mais desenvolvidos do Brasil. Quando eu estudei engenharia civil na Universidade Federal daqui, a hegemonia da esquerda era absoluta. Quando andava no DCE os funcionários se cumprimentavam chamando de "companheiro", como alusão à Lula. E claro, sempre que conversava com pessoas de cursos como filosofia, história, sociologia, ciências políticas, a mentalidade era a mesma, defender os preceitos da esquerda. Hoje, como já disse, mudou um pouco,

Como foi a exibição do filme de Olavo de Carvalho na Universidade Federal do Piauí?

- Foi apresentado aqui depois de muita confusão. E pessoas ligadas a partidos de esquerda ligarem caixas de som para falar dos "fascistas" próximos ao auditório de exibição dentro da universidade. E o público foi maior do que esperávamos. A mudança é muito lenta, mas já começa a acontecer, mesmo que as pessoas que pensem como eu não tenham representação alguma na política. Não existe candidato que defenda o que eu defendo, pelo contrário, pelo nível que se encontra aqui, a reeleição do Wellington Dias vai ser a menos pior dentre as outras, pois a quantidade de candidatos que dizem que vão estatizar tudo é absurda.

Como o conservadorismo e o liberalismo são encarados no Piauí?

- Aqui conservadorismo e liberalismo são quase uma ofensa. Apesar de ter alguns focos de resistência na capital, é inexistente no interior. Parte da população está muito desiludida com a política, e outra parte vejo tentar se agarrar ao menor benefício que possa receber de seus "patrões" para ter alguma qualidade de vida. Não existe oposição ao governo, todos estão com o “Welling Dias”. A "oposição" que vejo é mais ou menos como PT e PSOL. Então, isso me deixa temeroso à quantidade de votos que o Bolsonaro irá receber dessa região, assim como a dificuldade que ele terá, caso eleito, de promover alguma mudança por aqui, pois se depender do governador e dos seus aliados nada será feito.

Como é a situação no interior do Piauí?

- Tudo isso que relatei até aqui se refere à capital Teresina. Quando vou para o interior, a situação é totalmente outra. As pessoas são divididas em duas categorias: ou estão apáticas ao que acontece na política, simplesmente aceitam o que os políticos mandam, ou se agarram às migalhas que os políticos distribuem, e os defendem com unhas e dentes. É até impressionante isso, mas os políticos fazem o que querem, distribuem migalhas, e a população os vê como deuses. A coisa mais comum que tem é brigas entre famílias e amigos por causa de política. É realmente assustador como as pessoas levam o fanatismo a sério. Quando ocorre eleição, o lado ganhador toma conta da cidade, e o lado perdedor tem que se esconder dentro de suas casas para evitar brigas. Acredite, é pior do que torcida organizada de futebol.
Jovem do Piauí explica em entrevista complicações para direita no Nordeste Jovem do Piauí explica em entrevista complicações para direita no Nordeste Reviewed by Wilson Oliveira on 10:51:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.