João Amoedo: a fraqueza em pessoa pra combater o pior da política

Arte: Fellipe Villas Bôas

Por Wilson Oliveira

Existem liberais que são de direita, existem liberais que são de esquerda e existem liberais que ficam em cima do muro. É verdade que o Liberalismo Clássico nasceu integrando o espectro de direita, pois era focado na economia em oposição ao socialismo e tinha teóricos que eram conservadores (cristãos, tradicionalistas, que presavam pela moral e os bons costumes).

Mas a Revolução Francesa ampliou o leque do liberalismo com esquerdistas radicais se autoproclamando liberais, mesmo sem levar adiante o estudo econômico do Liberalismo Clássico. Depois disso, vimos liberais que ficavam em cima do muro, pegando a herança econômica dos liberais clássicos e o espírito político-revolucionário dos liberais franceses.

O Amoedo tem como maior defeito saber que o progressismo é um malefício, mas não querer combatê-lo, pois ele possui um projeto pessoal claríssimo de poder e entende que se partir pro confronto contra os progressistas, esse seu projeto pode sofrer um abalo. É a visão dele, que já desiludiu muitos conservadores e liberais clássicos que ajudaram a construir o Novo e que está desiludindo os últimos que ainda restam no partido.

Amoedo e Ilona Szabó, presidente do Instituto Igarapé, que tem a Open Society (George Soros) como um dos financiadores

Mais importante do que discutirmos se as opiniões do Amoedo são ou não de direita, é observarmos com clareza se a postura política dele é ou não de direita e se ele emprega isso no partido que construiu. E lamentavelmente não é o que ele fez. O Novo é justamente aquele tipo de liberal que tenta pegar a herança econômica dos clássicos, mas que deixa a porta aberta para os liberais político-revolucionários, que colocam a liberdade acima de tudo como se isso fosse um motivo de disputa.

O homem moderno não é mais sábio do que o antigo. O contrário é mais provável. Marco Aurélio não era pessimista, apenas não padecia da praga do "mito do progresso". Nesse sentido, todo moderno iluminista é um idiota.
John Gray

Amoedo construiu a direção do Novo com pessoas que acham que o comunismo já morreu, que o globalismo não existe e que o progressismo não é nada demais. Ora, não existe direita que fique cega para os maiores defeitos atuais da esquerda.

PS: a economia era o maior defeito da esquerda no século XIX, com os seguidores à risca da teoria de Karl Marx, mas isso já foi superado. Hoje existem muitos esquerdistas que aceitam o liberalismo econômico, desde que todo o resto seja progressista, justamente por acreditarem no que John Gray chama de "mito do progresso". E muitos deles estão no Novo, inclusive comandando o partido.



*Wilson Oliveira é defensor do retorno da monarquia parlamentar no Brasil. É conservador monarquista, com influências da tradição anglo-saxã do liberalismo clássico, do minarquismo, da Escola Austríaca e da Escola de Chicago. Reside no Rio de Janeiro, é jornalista e editor-chefe de O Congressista.
João Amoedo: a fraqueza em pessoa pra combater o pior da política João Amoedo: a fraqueza em pessoa pra combater o pior da política Reviewed by Wilson Oliveira on 21:27:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.