Três questionamentos feitos por um direitista para o ministro da educação


Por Renato Amoedo

Tenho três questões que não foram feitas para o ministro Ricardo Velez Rodriguez na comissão na Câmara dos Deputados:

1) Ministro, o que falta para o MEC disponibilizar conteúdos oficiais grátis pela internet possibilitando a todos os alunos da rede pública a terem formação básica das 7 "artes liberais" e inclui-las no ENEM?

Se os brasileiros tivessem 10 horas de aulas e 10 horas de leituras de cada uma delas, saberiam calcular áreas e volumes; se localizar pelo céu, de dia ou de noite; ler partituras e, mais importante, entender lógica e saber se expressar.

Segundo a experiência histórica (de dezenas de tigres asiáticos e não só ditaduras totalitárias como a China), os três conteúdos mais importantes a serem ensinados hoje para aumentar a produtividade das massas do país seriam TI (desde rudimentos de algoritmo até arquitetura e linguagens comerciais); finanças pessoais (ensinar como se alcança independência financeira, como se investe, quais os perfis de preferências temporais e de risco; e, como funciona a economia e as políticas públicas - com base em Hayek, Friedman e Mises, por exemplo, para que entendam como é diabólico o comunismo/socialismo); e, inglês - idioma que se não for dominado de maneira fluente, não permite acesso a mercados nem a textos de ponta de NENHUMA ciência pura ou aplicada.

2) Ministro, o que falta para o MEC colocar um site com conteúdos oficiais e grátis dessas matérias para todos os alunos da rede pública e inclui-las no ENEM?

Uma das estratégias educacionistas gramscistas foi reduzir e procrastinar o número de horas de ensino útil e aumentar em propedêuticas corrompidas - com os BIs (populares bacharelados em porra nenhuma) e com o fim dos gloriosos cursos técnicos dos centros federais para serem substituídos por pós médios e superiores medíocres dos institutos federais.

3) Ministro, quais seus planos para restaurar os cursos médios dos CEFET's que produziam profissionais competentes com 17-18-19 anos, capazes de passar em qualquer vestibular e a produzir riquezas e para acabar os esquemas educacionistas de destruição de caráter e intelecto dos BIs e institutos federais que fabricam eternos estudantes ativistas que nunca trabalharam com 35 anos?

Se o problema é dinheiro ou mão de obra, avise que abrimos um crowdfunding e resolvemos em 48h.

O Brasil tem pressa, a curva de juros inverteu. A janela de oportunidades para mudança é a eleição de Donald Trump. O que não for feito até a depressão (em 12-20 meses) tem menos chance de ser realizado depois.
Três questionamentos feitos por um direitista para o ministro da educação Três questionamentos feitos por um direitista para o ministro da educação Reviewed by Wilson Oliveira on 19:30:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.