Até Karl Marx ficaria desesperado com Bolsonaro, concluem analistas

Arte: Fellipe Luiz Villas Bôas

Por Wilson Oliveira

O analista político Daniel Lopez repercutiu no canal do YouTube que leva o seu nome a entrevista que o presidente Jair Bolsonaro concedeu à jornalista Leda Nagle. Lopez citou uma matéria do jornal O Globo que traz trechos da entrevista no tocante aos projetos do Governo para o segundo semestre, principalmente para a área econômica e de segurança pública.

Na referida matéria, O Globo cita que o presidente Jair Bolsonaro vai enviar um projeto ao Congresso com o objetivo de dar retaguarda jurídica para que os policiais possam utilizar armas de fogo em operações sem serem processados. O jornal afirma que "para Bolsonaro", a violência cairá assustadoramente se houver excludente de ilicitude na proteção da vida, da propriedade e do patrimônio. Daniel Lopez aproveitou esse gancho do jornal para afirmar que até Karl Marx, o idealizador do comunismo, ficaria desesperado com as ações de Bolsonaro.

- Nessa segunda fase do Governo Bolsonaro, o negócio vai pegar fogo, vai ser bombástico. Olha o título da matéria (de O Globo): "'Os caras vão morrer na rua igual barata, pô', diz Bolsonaro sobre os criminosos" (...). Tipo assim, Karl Marx em pânico, né. Isso aqui é o pânico do plano de Karl Marx para a implementação do socialismo. Isso você pode ver muito claramente no (livro) "Manifesto do Partido Comunista", no capítulo terceiro, onde ele vai falar sobre essa questão de como implementar o marxismo paulatinamente. Imposto altos, impostos progressivos e expropriando a propriedade privada, deixando a população sem meios para se defender da tomada da sua propriedade privada - afirmou Daniel Lopez.

Lopez acredita que na entrevista para Leda Nagle ficou claro que primeiro Bolsonaro quer arrumar as finanças do Estado para depois lançar a fase dois, que será o ataque frontal à violência, criminalidade e corrupção.

- Eu tenho pra mim, e eu já ouvi isso em alguns lugares, informações lá de dentro, que o plano do Bolsonaro é chegar ao poder e restaurar, primeiro, as finanças do Estado, a saúde financeira do Estado, para que ele possa ter recursos para investir em saúde e educação, mas principalmente numa das suas plataformas mais importantes que é a segurança pública. Então eu creio que ele está esperando concluir definitivamente a Reforma da Previdência, depois a Reforma Tributária, resolver todas essas questões da fase 1, acabar com as fraudes do INSS, regularizar todo tipo de despesa terrível que o Estado brasileiro acaba cometendo, e também oxigenar a economia, com essa liberação por exemplo do FGTS, com a PEC da Liberdade da Econômica. Então tem muita coisa legal acontecendo. Creio que na fase um do Governo, a estratégia é arrumar a casa. E aí na fase dois o ataque frontal à corrupção, à criminalidade e à violência - disse Daniel Lopez.

Em discurso na abertura do 29º congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), em São Paulo, Jair Bolsonaro falou sobre a medida provisória 892/19 que desobriga empresas de capital aberto a publicarem seus balanços financeiros em jornais impressos. Com essa MP, a publicação dos balanços pode ser feita a partir de agora nos sites da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou do Diário Oficial da União (DOU) a “custo zero".

Outra medida adotada por Bolsonaro foi a aprovação de uma redução para zero das alíquotas do Imposto de Importação sobre 261 bens de capital e 20 bens de informática. No canal do YouTube Vista Pátria, Allan Frutuozo afirmou que "muito se fala de subsídios, de protecionismos e todas essas medidas que foram adotadas pelos governos anteriores ao longo dos anos e nos deixaram com produtos ruins, sem competitividade e também atrelados a uma alta carga tributária", e que "essa medida drástica e pontual do ministro Paulo Guedes vai atingir na veia a economia brasileira".

- A nossa estrutura impede a pessoa de empreender, e isso afeta diretamente nos nossos empregos, na qualidade dos produtos que a gente consome, é terrível. Então essa medida será fantástica, e poderemos já ver alguns resultados. E ela vem associada ao momento em que o Brasil, o governo brasileiro de Jair Bolsonaro, tenta fechar acordos internacionais, com muito sucesso, vide o acordo que já está avançando com os Estados Unidos, e também o acordo fechado do Mercosul com a União Europeia. Esse cenário de novos produtos entrando aqui com mais facilidade obviamente seria uma preocupação para a indústria nacional. E sempre tivemos aqueles discursos populistas de proteger a indústria nacional. O presidente Jair Bolsonaro está dando a prova de qual é a melhor forma para proteger a indústria nacional, que é deixar os caras produzirem sem atrapalhar com impostos, tributações altas e dificuldades burocráticas para importação. Mais uma grande bola dentro do Governo Bolsonaro que está indo nessa linha de redução de impostos - disse Allan Frutuozo.

Estamos nos esforçando para mostrar as coisas boas que os conservadores estão fazendo pelo Brasil. Se você nos ajudar, poderemos publicar mais artigos como esse. Visite o nosso Apoia.se!
Até Karl Marx ficaria desesperado com Bolsonaro, concluem analistas Até Karl Marx ficaria desesperado com Bolsonaro, concluem analistas Reviewed by Wilson Oliveira on 22:57:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.