"Projeto de lei das fakes news visa retornar à ditadura do progressismo", opina editor


Por Wilson Oliveira

Há muitas décadas no Brasil existe uma imposição do progressismo como verdade absoluta. E para quem não sabe, o progressismo é o campo filosófico que sustenta essa esquerda que conhecemos nos dias de hoje, no Brasil e no mundo.

Entre os séculos XVII e XIX, progressismo significava os avanços da humanidade. Mas em meados dos anos 60 do século XX, os pesquisadores filosóficos da Escola de Frankfurt transformaram esse termo na mistura do comunismo com o liberalismo de Rousseau - que marcou o advento da "Teoria Crítica".

Essa ditadura do pensamento começou a se desenvolver no Brasil nos anos 1970, por total ignorância dos militares no campo filosófico, permitindo que os comunistas brasileiros recebessem as influências europeias e as transformassem em ações coordenadas nas universidades e nos jornais brasileiros.

Desde então, essa ditadura progressista do pensamento vinha caminhando tranquilamente no nosso país. Mas nos últimos anos, o conservadorismo obteve um sopro mínimo de organicidade e ressurgiu nas redes sociais pra questionar o progressismo e mostrar que existe outro modo de pensar.

Agora, o projeto de lei das "fake news" (PL2630) que tramita no Senado quer nos levar de volta à ditadura do progressismo. Aí eu pergunto: como pode haver idoneidade em um sistema político e jurídico dominado pelo progressismo desde os anos 70?

Como estabelecer o que é fake news se apenas as supostas fake news publicadas por conservadores são observadas, enquanto fakes news progressistas passam incólumes aos olhos dos "justiceiros"? Querem nos convencer que conservadores mentem e que progressistas falam a verdade numa clara violação da liberdade de pensamento e numa explícita manipulação da opinião alheia?

O Brasil só poderá julgar o que é fake news passível de ação dispositiva legal quando alcançarmos um equilíbrio no sistema político e jurídico entre progressistas e conservadores. Enquanto o progressismo representar uma quase totalidade do establishment, qualquer tentativa de legislar sobre esse tema representará um cerceamento ao livre pensamento para proteger a corrente de ideias que domina o mainstream, portanto uma atitude completamente absurda e autoritária.

Confira abaixo o editorial "Em nome da democracia, é preciso combater os Antifas", de O Congressista TV: 



Ajude O Congressista a crescer. Jornalismo sério custa dinheiro. Faça-nos uma doação através do nosso Apoia.se!
"Projeto de lei das fakes news visa retornar à ditadura do progressismo", opina editor "Projeto de lei das fakes news visa retornar à ditadura do progressismo", opina editor Reviewed by Wilson Oliveira on 14:31:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.