"40 Dias - O Milagre da Vida": o filme que acaba com os argumentos pró-aborto

Abby Johnson conversa com líder do grupo pró-vida "40 Days For Life"
Por Wilson Oliveira

Quando se fala em aborto, os debates, os argumentos e as teorias passam a ter cada vez menos sentido. Essa discussão precisa acontecer em torno do procedimento da prática abortiva. O filme "40 Dias - O Milagre da Vida" (título original: Unplanned), baseado na história real da própria personagem principal, explora justamente essa questão ao contar a história de Abby Johnson, que foi de voluntária à diretora de uma das unidades da "Planned Parenthood" nos Estados Unidos. 

Católica, filha de pais pró-vida, casada com um marido pró-vida e mãe de uma menina, Abby largou o comando de uma clínica de aborto ao ser chamada para ajudar no procedimento de uma mulher grávida há 13 semanas. A cena desse procedimento é apresentada logo no começo do filme. Um verdadeiro soco no estômago de quem está assistindo. 

No ultrassom, é possível perceber de forma muito clara o bebê se digladiando, lutando pela vida antes de começar a ter sua perna sugada, para em seguida todo o seu corpo desaparecer por completo do útero da sua mãe, enquanto o canudo da sucção manuseado pelo médico-cirurgião é todo tomado por uma imensa quantidade de sangue e pedaços do corpo do bebê.

Até então diretora da clínica, Abby Johnson, que começara a chorar durante o procedimento (ela foi chamada para segurar o aparelho do gel na barriga da mãe), correu para o banheiro após a finalização do abate daquele bebê. Em prantos, encostou na parede e foi se agaichando em um choro desolador. Defensora do aborto, ela nunca tinha visto como era o procedimento. 

Integrantes do grupo pró-vida "40 Days For Life" fazendo uma vigília em protesto contra o crescente número de bebês que foram abatidos

Após testemunhar o que, de fato, ela defendia, Abby tomou uma decisão que mudou para sempre a sua vida. Abandonou o comando da clínica, largou a pauta do aborto e passou a ser parte do grupo pró-vida "40 Days For Life". A decisão da psicóloga foi uma imensa alegria para os seus pais e o seu marido. Essas informações fazem parte da sinopse e do trailler do filme. 

OS TRECHOS ABAIXO CONTÊM SPOILER

O ótimo trabalho, dos mesmos produtores de "Deus Não Está Morto", é um choque de realidade muito forte. Este que vos escreve, que tem uma larga experiência em filmes de drama, tendo chorado em apenas um, chegou muito perto de derramar lágrimas em três momentos do filme. A película oferece várias oportunidades para pensar sobre a vida e sobre as crianças do ciclo social de quem está na poltrona do cinema assistindo ao filme.

Em um dos momentos de imensa emoção, uma mulher grávida chega à clínica acompanhada da sua filha pequena, aparentemente com nove anos de idade. Do lado de fora, nas grades, sua mãe, chorando copiosamente implorando pela vida do neto que dali uma hora seria abatido dentro da clínica. 

Outra cena forte do filme começa com um caminhão dentro da área da clínica. A câmera vai abrindo a imagem e de repente aparece um homem carregando um tonel. Os integrantes do grupo pró-vida que ficam se revezando do lado de fora na tentativa de convencer as mulheres a desistirem do aborto, perguntam ao homem se aquele tonel é o que eles estão pensando. Constrangido, primeiro o homem se justifica dizendo que é "apenas o cara do caminhão" para, em seguida, confirmar que é exatamente o que eles estão pensando. 

A tensa cena em que integrantes pró-vida oram em frente aos toneis que carregam os corpos dos bebês abatidos

Os religiosos, vistos pelas funcionárias da clínica como fanáticos que existem apenas para perturbar a tranquilidade do local, convencem o homem a deixar o tonel ali perto, por alguns minutos, enquanto eles oram por aqueles bebês abatidos. E então o homem complementa o curto diálogo com uma informação destruidora: era para os religiosos aguardarem, pois ele ainda iria buscar outros toneis como aquele dentro da clínica. 

FIM DOS SPOILERS

Embora trate de um assunto brutal, de uma pauta monstruosa que é o abate de bebês, inexplicavelmente defendido por milhões de pessoas ao redor do mundo, o filme deve ser celebrado por todos aqueles que entendem que a vida tem um valor imensurável e que deve ser defendida a todo custo e a todo momento. Finalmente, ao menos na indústria do cinema, a voz de todos aqueles que são contra o aborto está sendo representada, com qualidade e alto nível. O filme, além de muito forte, é super bem produzido. 

Vale a pena nós, brasileiros, nas cidades onde os cinemas foram reabertos, contribuirmos com os números da bilheteria de "40 Dias - O Milagre da Vida". Reclamamos tanto que o conservadorismo não tem espaço na arte e na cultura, enquanto a esquerda domina amplamente essas áreas, que agora ganhamos a oportunidade de sermos representados, pelo menos durante o momento em que esse filme estiver em cartaz.
"40 Dias - O Milagre da Vida": o filme que acaba com os argumentos pró-aborto "40 Dias - O Milagre da Vida": o filme que acaba com os argumentos pró-aborto Reviewed by Wilson Oliveira on 22:52:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

Tecnologia do Blogger.