Fiuza dispara sobre esquerda: ''Assumam que vocês são selvagens''

22:47:00 , 0 ''

 
Por Raul Prudens

Durante participação no programa Os Pingos Nos I's, desta terça-feira (9), na emissora Jovem Pan, o comentarista Guilherme Fiuza fez um desabafo endereçado à esquerda e a boa parte da imprensa, dizendo para abandonarem o manto de bondade e progressismo e assumirem que são autoritários, brutais e que estão em uma disputa selvagem por poder.

"Esses personagens abandonaram completamente qualquer preocupação, qualquer anseio por democracia. Virou uma disputa selvagem por poder. Agora, queria dizer o seguinte a eles: assumam isso, assumam poxa. Vocês querem uma disputa selvagem por poder, a revelia da democracia? Saiam desse mantozinho de bondade, progressista, nhém nhém nhém nhom nhom nhom, imprensa resistência. Mostrem que vocês são autoritários, mostrem que vocês são brutais, que vocês não respeitam as instituições e levem a disputa para esse campo".

O comentário foi feito após o apresentador do programa, Vitor Brown, anunciar a realização de um julgamento no TSE sobre uma ação que pede a cassação da chapa Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão por conta de supostos disparos de fake news em Whatsapp. Fiuza aproveitou para lembrar que o candidato petista derrotado por Bolsonaro em 2018, Fernando Haddad, foi condenado justamente por essa prática.

"Isso aí é a maior fake news de todas. Isso aí já foi desmoralizado. Quem já foi condenado por manipular processo eleitoral foi o Haddad, o candidato (do PT à presidência em 2018) derrotado", disparou o comentarista.

No julgamento, também foi analisado uma quebra de sigilo bancário e telefônico do empresário Luciano Hang, dono da rede de varejo Havan e notoriamente apoiador do presidente Bolsonaro, e de outras quatro empresas. As ações foram movidas pelas coligações "Brasil Soberano", formadas pelos partidos PDT e Avante, e "O Povo Feliz", que reúne PT, PCdoB e PROS

"O Povo Feliz, né. PT, PCdoB e PROS é o povo feliz... Você vê que já começou errado", ironizou Guilherme Fiuza.

O comentarista também chamou de "ridícula" e "patética" a tese de que disparos de Whatsapp fez as pessoas votarem no presidente que foi eleito. Fiuza afirmou que uma "triste parte da imprensa não aceitou o resultado da eleição".

"Isso serviu bastante para uma triste parte da imprensa que resolveu não aceitar o resultado da eleição e ficou tentando disseminar essa tese ridícula, patética, que uma instrumentação por Whatsapp entrou na cérebro das pessoas e fez elas votarem no presidente que foi eleito".

Por fim, Fiuza analisou que esse comportamento não tem nada a ver com espectro político, mas sim com hipocrisia.

"Isso aí não tem nada a ver com espectro ideológico. Me errem com esse negócio aí. Não tem nada a ver com espectro ideológico, isso aí é hipocrisia, não aceitar resultado das urnas. Você vai negar esses fatos pra fingir uma sombra fascista?".
 
----------------------------------- 
 

Quatro conservadores aceitaram o convite de O Congressista e se disponibilizaram a realizar debates por escrito de todos os temas que forem propostos. No entanto, eles pediram para utilizar nomes fictícios para não serem reconhecidos e não sofrerem represálias em seus locais de trabalho, pois os quatro trabalham em ambientes dominados pela esquerda. 
 
Siga os participantes do Resenha Política, através dos seus codinomes, no Twitter: