Marcas do esquerdismo: jovens mimados que só querem curtição e putaria


Por Antônio Fidelium

Quando o jovem não pensa em nada sério na sua vida e só quer saber de vadiagem, curtição e se divertir em grau máximo com práticas bastante duvidosas, ele se cerca de pessoas que buscam o mesmo. O resultado é um estilo de vida regado a putaria e irresponsabilidades. Podemos dizer que quem vive dessa maneira se transforma em uma pessoa anormal, que prioriza um sentido completamente banal e inócuo na terra, sendo um completo parasita de quem lhe sustenta.

São vários fatores envolvidos para tantos jovens se sentirem atraídos por esse estilo de vida, mas acredito que o principal seja a falta de exemplo por parte dos pais. No caso, ou os pais já levam uma vida nesse estilo e transmitem isso para os seus filhos, ou, apesar de levarem uma vida dentro da normalidade, falham ao não conseguirem incentivar que seus descendentes sigam o mesmo caminho.

Essa falha puxa um problema muito grande na sociedade atual que é a falta de presença dos genitores na vida dos seus filhos. Há muitos pais que mesmo morando debaixo do mesmo teto que suas crias são altamente ausentes na educação dos mesmos. Ser presente não é apenas dar teto, comida, escola e pagar as contas. Ser presente é conversar, compreender, participar das aflições, ajudar a encontrar soluções e, principalmente, não se furtar a mostrar quando o jovem está errado. Há pais que sentem preguiça disso, que desistem desse papel por estarem cansados do trabalho.

A esquerda tem grande responsabilidade nesse desvirtuamento dos jovens, principalmente em países como o Brasil onde tem forte presença em praticamente todos os setores da sociedade que participam na formação da juventude, como escola e cultura. A filosofia esquerdista de vida aprova o uso de drogas, a rebeldia, a curtição sem limites, uma vida repleta de direitos e nenhum dever, com total desprezo pela figura do pai e da mãe, exceto quando o pai e/ou a mãe são completas porra-loucas.

Aquilo que a esquerda vê como responsabilidade do indivíduo são situações que servem apenas pra pressão psicológica criada pra prender as pessoas nos limites estabelecidos pela própria esquerda. Ou seja, a pessoa deve se preocupar com minorias, com meio ambiente, com aprovação do aborto, com legalização da maconha, com destruição do significado de família, de sociedade, de trabalho duro. Em momento algum os esquerdistas chamam atenção para o respeito que todos devem ter por seus pais, em estudar para adquirir conhecimento que sirva para uma profissão, ou seja, em ser alguém na vida. Experimente falar sobre a importância dos pais na vida de uma pessoa para um esquerdista e tire suas conclusões.

A principal consequência de termos tantos jovens vivendo dentro desse estilo é a formação de uma geração de adultos fracos, inoperantes, fúteis, desequilibrados, imaturos, irresponsáveis, ignorantes e incompetentes. São pessoas que não sabem valorizar o esforço para se atingir metas, que não sabem respeitar a hierarquia em um ambiente de trabalho, que são improdutivos, que não têm cabeça para o empreendimento, que não querem saber de assumir riscos, que não querem deveres, apenas direitos.

Daí temos uma população economicamente ativa no país em que boa parte em vez de colaborar para o desenvolvimento do mesmo, acaba por fazer um monte de besteira, seja na política ou na administração da própria vida, que leva o país a uma sequência sem fim de regressões. É o que vimos acontecer na Venezuela e estamos vendo nesse exato momento acontecer na Argentina. É claro que eu sinto pena, principalmente das crianças dessas nações. Mas elas estão pagando pelas escolhas dos seus pais, que são fruto de tudo isso que mencionei acima. Adulto arruinado que não valoriza deveres, apenas direitos, adora escutar as promessas lunáticas de um político esquerdista como Hugo Chaves, Nicolás Maduro, Cristina Kirchner e Lula.

O primeiro passo para revertermos esse processo são os pais que têm uma inclinação política para a esquerda colocarem a cabeça no lugar e entenderem que eles precisam explicar aos seus filhos que o mundo não é feito apenas de direitos, mas também de deveres. Todos nós precisamos lutar, honestamente, para ser alguém na vida, sem passar por cima de ninguém. E os pais que sabem disso, precisam se comprometer mais e passar isso para os seus filhos. Não adianta um pai e uma mãe ser um cidadão correto, cumpridor dos seus deveres, mas não passar isso para aqueles que deram a luz trilharem o mesmo caminho. Se o filho se desvirtua, os pais não podem colocar a culpa em nada que não seja neles mesmos. 
 
------------------------------------------------- 
 
 

Quatro conservadores aceitaram o convite de O Congressista e se disponibilizaram a realizar debates por escrito de todos os temas que forem propostos. No entanto, eles pediram para utilizar nomes fictícios para não serem reconhecidos e não sofrerem represálias em seus locais de trabalho, pois os quatro trabalham em ambientes dominados pela esquerda. 
 
Siga os participantes do Resenha Política, através dos seus codinomes, no Twitter: