Projetamos os partidos que devem estar a favor e contra Bolsonaro em 2022

13:46:00 0 ''


Por Redação O Congressista
 
O editor de O Congressista Wilson Oliveira projetou uma reorganização partidária na política brasileira no ano de 2022, considerando que o presidente Jair Bolsonaro seja reeleito.

Nessa projeção, Wilson apontou que os partidos devem se dividir em um bloco de siglas a favor de Bolsonaro e outro bloco de legendas contrárias ao presidente da república, desidratando as divisões que temos atualmente: partidos de esquerda, do centrão, do "centro democrático" (que nós, de O Congressista, chamamos de centrinho) e nanicos.

O editor englobou os partidos de esquerda e do centrinho no bloco anti-Bolsonaro, acrescentando mais alguns partidos do centrão, como o PSD. Outra legenda do centrão que está caminhando para esse bloco é o Republicanos.

No grupo de favoráveis a Bolsonaro, Wilson destacou o PP, que tem grandes chances de receber a filiação do próprio Jair Bolsonaro, e o PTB, que também sonha em receber o presidente, ao passo que já tem em suas fileiras vários bolsonaristas. Também entraram nesse conjunto os nanicos Patriota (que precisa resolver uma disputa interna no diretório nacional), PRTB, DC e Brasil 35, que até pouco tempo estavam em negociação com Bolsonaro pela sua filiação, além do PL.

O PSL é outra legenda que pode entrar de vez na coalizão a favor de Jair Bolsonaro, principalmente se ocorrer uma mudança no comando do diretório paulista do partido, o que resultará no enfraquecimento dos filiados da sigla contrários ao presidente e consequentemente no fortalecimento dos pró-Bolsonaro, como o deputado Eduardo Bolsonaro. 
 
O DEM e o Podemos também receberam um comentário à parte. Indefinidos para 2022, Wilson lembrou que os dois partidos possuem inúmeros bolsonaristas em seus quadros, apesar de também possuir vários contrários ao presidente. Portanto, nosso editor afirmou que será preciso aguardar alguns acontecimentos internos nessas duas legendas para ter a certeza de qual será o caminho delas no ano que vem.

O editor afirmou que essa divisão partidária sofrerá uma alteração no lado pró-Bolsonaro caso o Aliança pelo Brasil consiga seu registro, pois o partido desenhado pelo clã Bolsonaro naturalmente assumiria a liderança dessa coalizão, uma vez que receberia uma enxurrada de filiações de políticos bolsonaristas, assim como o próprio presidente e seus filhos.

No entanto, Wilson Oliveira também chamou a atenção para a importância da coalizão governista nesse segundo mandato não se concentrar em apenas um partido, mas sim em vários, para que possa ocupar o comando das comissões e da mesa-diretora da Câmara dos Deputados.

O editor destacou várias vezes que os eleitores conservadores precisam prestar bastante atenção na hora de votar em deputado federal e estadual nas eleições de 2022, pois será fundamental optar por nomes que pertençam aos partidos que estejam na coligação do presidente Jair Bolsonaro.

O voto em um candidato a deputado que pareça bom, mas que pertence a um partido que está contra Bolsonaro, vai acabar dificultando a formação de uma base parlamentar para o presidente, pois vai eleger parlamentares de partidos oposicionistas em vez de colocar parlamentares de partidos aliados. 
 
Partidos que devem estar junto com Bolsonaro:

PP
PTB
PL
Patriota
PRTB
Democracia Cristã (DC)
Brasil 35 (ex-PMB)

Indefinidos que podem vir para o lado de Bolsonaro:

PSL
DEM
Podemos
PSC

Partidos confirmados ou quase confirmados contra Bolsonaro:

PT
PSOL
PC do B
PSB
PDT
Rede
PSDB
PSD
MDB
Republicanos
Solidariedade
Cidadania
Avante
NOVO
PROS
PV

Confira o vídeo abaixo da projeção do nosso editor Wilson Oliveira: