O discurso conservador sobre a chance de fraude nas eleições 2022

19:10:00 0 ''


Por Wilson Oliveira

Podemos afirmar de maneira concreta que a alegada segurança das urnas eletrônicas é um verdadeiro tiro no escuro. Basicamente, as autoridades eleitorais sustentam que as urnas são seguras simplesmente porque estão dizendo que são. Não existe uma demonstração clara e transparente dessa segurança. 

Basta sempre recorrermos aos exemplos. Nenhuma democracia consolidada no mundo utiliza essa mesma 'segurança brasileira' para o processo eleitoral. E daí cabe a pergunta: se o nosso sistema é tão seguro, por que existe apenas no Brasil? Se o nosso sistema de votos realmente fosse absolutamente seguro, os outros países estariam nos copiando. 

Por isso, devemos oferecer todo o apoio ao voto auditável, que a deputada federal Bia Kicis tenta, com apoio do presidente da Câmara Arthur Lira, aprovar. Nós, de O Congressista, acreditamos, inclusive, que a direita brasileira vacila ao não ser mais explícita nessa defesa. Quando enchemos as ruas brasileiras de manifestantes patriotas vestidos de verde e amarelo, deveríamos exibir centenas e centenas de faixas pedindo pelo voto auditável. Neste momento, isso é o que mais importa. 

Também podemos melhorar a nossa comunicação sobre esse assunto começando por parar de uma vez por todas de falar em "voto impresso". Por mais que seja absurdo dizer que o projeto é pelo retorno do voto de papel, há gente perversa indo por esse caminho optando por uma versão claramente mentirosa. 

E, do nosso lado, aqueles que ficam falando "voto impresso" acabam ajudando a mentira contada pelos manipuladores da informação. Temos que chamar pelo nome correto: voto auditável. 

Outra coisa: temos que deixar claro que o voto auditável, além de aumentar transparência, serve justamente para também fortalecer a nossa democracia. A direita tem nas mãos a chance de demonstrar que quem está contra o voto auditável, na verdade está contra a democracia. 

A aprovação do voto auditável precisa ocorrer de modo completo no Congresso até outubro deste ano. Portanto, é mais do que imprescindível que a direita se concentre totalmente em apoiá-lo. É preciso que os direitistas parem de se distrair com outros assuntos, que parem de cair nas armadilhas da mídia marrom e da esquerda e mantenham o foco naquilo que realmente interessa: voto auditável. 

Quando temos direitistas nas redes sociais caindo em provocações de outros assuntos em vez de falar de voto auditável, é um gol contra que estamos marcando.