Deputados bolsonaristas votaram CONTRA o fundão de R$ 6 bilhões

 
Por Lucas Fraternais

É fake news a informação que tem sido espalhada na internet de que os deputados bolsonaristas teriam votador a favor do fundão eleitoral de R$ 6 bilhões.

O que realmente aconteceu foi:

O Partido Novo apresentou um destaque para RETIRAR esse fundão de R$ 6 bilhões da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

Os deputados bolsonaristas que estão sendo massacrados nas redes sociais, como Eduardo Bolsonaro, Carla Zambeli e Bia Kicis, votaram a favor desse destaque do Novo pra retirar essa fundão.

Outra informação importante a ser citada é que os bolsonaristas estão perdendo completamente o controle sobre o PSL. Portanto, o partido não tem feito as vontades de quem apoia o governo federal, mas sim do seu dono, Luciano Bivar, que também é deputado federal e articula uma aproximação com a "terceira via" ou até mesmo o lançamento de um candidato próprio à eleição presidencial de 2022.

E os veículos de comunicação que lutam todo dia para Bolsonaro e seus aliados serem expulsos da política espalham fake news de forma totalmente frenética, justamente com o intuito de fazer os eleitores pegarem raiva e não votarem mais nos nomes conservadores.

Depois esses veículos vão se corrigir, dizer que se equivocaram, que não é bem assim, mas farão isso de forma bem discreta, praticamente escondida, pois na realidade desejam que as pessoas continuem massacrando os bolsonaristas.

O que mais vemos dentro da política é sujeira. Na imprensa brasileira, infelizmente, também...
 
------------------------------------------------- 
 
Quatro conservadores aceitaram o convite de O Congressista e se disponibilizaram a realizar debates por escrito de todos os temas que forem propostos. No entanto, eles pediram para utilizar nomes fictícios para não serem reconhecidos e não sofrerem represálias em seus locais de trabalho, pois os quatro trabalham em ambientes dominados pela esquerda. 
 
Siga os participantes do Resenha Política, através dos seus codinomes, no Twitter: