O partido político de direita criado por Weintraub, Salles e Ernesto Araújo

 
Redação O Congressista

O editor de O Congressista Wilson Oliveira afirmou, no mais recente vídeo do canal no YouTube O Congressista TV, que uma das duas formas para os ex-ministros Abraham Weintraub, Ricardo Salles e Ernesto Araújo ajudarem a direita a se consolidar é se envolvendo na criação de um partido direitista. Wilson disse que essa legenda já seria para um projeto visando as futuras eleições de 2024, 2026, 2028, 2030 e assim por diante.

O editor pontuou que a direita brasileira precisa urgentemente criar seu primeiro partido, para depois criar o segundo, o terceiro, o quarto e por aí vai. Atualmente, o Brasil conta com mais de 40 legendas, porém todas são de esquerda ou de centro, nenhuma defende as bandeiras conservadoras. Wilson Oliveira argumentou que ir para eleição sem ter nenhum partido é um prejuízo muito grande para a direita.

ABRAHAM WEINTRAUB JÁ ESTÁ EM AÇÃO

Falando especificamente do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, temos a informação que ele está prestes a assumir o comando do diretório de São Paulo do PTC para se lançar ao governo do estado. O diretório nacional da legenda vê com bons olhos o nome de Weintraub no pleito paulista, mas ainda está na defensiva quanto ao repasse do comando do diretório. Abraham, por sua vez, quer lançar aliados para disputarem cadeiras na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Outra informação recebida por O Congressista é que caso Weintraub coloque seu nome na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, muito provavelmente receberá o apoio do PTB, que está dando uma guinada à direita e tem conservadores no comando do diretório paulista. O presidente nacional do partido, o ex-deputado Roberto Jefferson, é mais inclinado a apoiar o nome de Abraham Weintraub do que apoiar Tarcísio Gomes de Freitas, não por ter algo contra o atual ministro da Infraestrutura, mas por não ter boas relações com os caciques do PP, possível partido que Tarcísio se filiará.

A respeito de Ernesto Araújo e Ricardo Salles, ainda não há informações concretas sobre os próximos passos de ambos. Porém, pouco antes de se desligar do Governo Federal, Salles havia manifestado o desejo de concorrer a uma cadeira de deputado federal. O PP também é a legenda que aparece como provável destino do ex-ministro do Meio Ambiente.
 
EDITOR TAMBÉM SUGERE SENADO PARA OS EX-MINISTROS

O editor de O Congressista, Wilson Oliveira, afirmou que a outra opção para o trio ajudar a direita seria na disputa das eleições para o Senado. Wilson lembrou que o senador tem como vantagem ser o dono do mandato, diferentemente dos deputados que são eleitos, que exercem mandatos que pertencem aos partidos a que são filiados.

Outra vantagem de um senador lembrada por Wilson Oliveira é com relação ao governador e ao próprio presidente da república, que precisam respeitar acordos partidários ao nomear secretários ou ministros, enquanto o senador não tem essa preocupação.

Ao definir qual das duas opções era a mais importante para a direita brasileira neste momento - criar partido ou disputar eleição para o Senado -, Wilson ficou em dúvida. O editor comentou que o Senado é importante por ter como uma das suas funções fiscalizar o poder judiciário, principalmente o STF. Mas o editor insistiu no fato da direita não ter nenhum partido e, por esse motivo, ficar muito prejudicada nas disputas das eleições.

Confira o vídeo sobre Weintraub, Salles e Ernesto Araújo: