Analista político: ''Olavo foi o brasileiro mais corajoso dos últimos tempos''


Por Wilson Oliveira

O analista político Rodolfo Quintella acredita que Olavo de Carvalho foi o brasileiro mais corajoso dos últimos tempos. Na mais nova entrevista concedida para O Congressista, Quintella explicou como Olavo de Carvalho colaborou para a formação da direita brasileira. 

O analista político também fez uma crítica, acreditando que os direitistas não irão imortalizar o nome de Olavo por estarem muito presos às redes sociais e por preferirem travarem tretas em vez de se ocuparem com outras ações, que seriam muito mais importantes.

Confira abaixo as respostas de Rodolfo Quintella, que procurou tocar em algumas feridas da direita, chamando atenção para aquilo que considera importante. 

Qual o principal ponto positivo de Olavo de Carvalho?

Ter apresentado o hábito de leitura de livros à direita brasileira. Pelo menos a uma parte, pois sabemos que a maioria, infelizmente, não lê. 

E dentro da ala chamada de "olavista" na direita brasileira, o costume de ler livro é maior?

Não. Mesmo dentro dessa ala olavista, pelo que vejo, apenas uma parte pega livros pra ler, seja do Olavo ou de outros autores. Outra é seguidora mais do Olavo youtuber, seja pelas aulas do Curso Online de Filosofia, seja pelos seus vídeos soltos. E desses, muitos chegaram ao Olavo de Carvalho graças à memes de redes sociais, fenômeno que também levou público para Jair Bolsonaro. 

Qual a maior consequência da falta de leitura no público da direita?

Sem leitura de livros, não se adquire conteúdo consistente que ajude a desenvolver ideias com nível elevado de complexidade. Consequentemente, a própria direita brasileira não se desenvolve, fica condenada a ser sempre um grande grupo do povo brasileiro cujas ações estão restritas às redes sociais, enquanto a esquerda, além de também estar nas redes sociais, também está na política, no sistema jurídico, na comunicação, na classe artística, nas universidades. O próprio Olavo cansou de apontar essa situação.

Será que o número de leitores de livros dentro da direita não vai aumentar agora com a partida de Olavo de Carvalho?

Acredito que a obra literária é o maior legado deixado por Olavo de Carvalho. E, somado a isso, a importância de se escrever livros, pois é a melhor maneira para documentar o que quer que seja. Como dizia o ditado, uma sociedade que não lê é uma sociedade que não conhece a própria história. No entanto, creio que pelo menos no curto prazo a direita vá preferir consumir os vídeos soltos do Olavo. Até porque a rede social é toda voltada para o consumo de conteúdo audiovisual com duração cada vez mais curta. E a direita brasileira está 99% encurralada dentro das redes sociais. 

Há pontos negativos em Olavo de Carvalho?

Sempre há pontos negativos em qualquer ser humano. Se não houvesse, não seria um ser humano. Acredito que tanto Olavo de Carvalho como Jair Bolsonaro foram decisivos para a direita brasileira ter esse perfil bélico, treteiro, conspiracionista, onde praticamente todos são profetas do caos. Toda essa gama de característica impede o desenvolvimento da própria direita, enquanto todos aqueles que não são direitistas fazem piada desse tipo de comportamento, quando não estão despejando adjetivos bastante pesados. 

Na sua opinião, a que se deve o fato de Olavo de Carvalho e Jair Bolsonaro colaborarem para a direita ser desse jeito que você descreveu?

Em primeiro lugar, é importante deixar claro que eu não acredito que Olavo e Jair criaram personagens para agir nesse sentido, eu realmente creio que eles são assim. Do outro lado da ponta, temos um povo órfão de gente com peito pra criticar imprensa, esquerda, progressismo, classe política. Nesse ponto, Bolsonaro e Carvalho foram importantíssimos – Olavo foi até mais corajoso, na minha opinião, o brasileiro mais corajoso dos últimos tempos - só que a meu ver não o fizeram na dosagem adequada. Vejo que os públicos de ambos estão bem paranoicos, acreditando que todos aqueles que não pensam 100% igual é um inimigo comunista. 

Enxerga alguma possibilidade de mudança de comportamento na direita? 

Sinceramente, eu não sei o que projetar. A direita brasileira é muito perdida. Os grupos direitistas, seja no WhatsApp, no Telegram ou no Facebook, só reproduzem teorias conspiratórias e profecias de caos, praticamente não há um diálogo em prol da construção de base direitista no Brasil. É curioso que o próprio Olavo de Carvalho vivia dizendo que a direita no Brasil precisa criar a sua base e víamos vários seguidores olavistas repetindo isso nas suas redes sociais, mas parece que para o público direitista isso entrava um em ouvido e saía pelo outro. O que esse pessoal realmente está interessado é em compartilhar tudo aquilo que deixa os demais direitistas desesperados e revoltadíssimos. 

Com o falecimento de Olavo de Carvalho, não existe a possibilidade de surgir outro líder intelectual da direita que proponha outro perfil aos direitistas? 

Eu acreditaria nessa possibilidade se tivéssemos candidatos ao posto de líder intelectual da direita com um perfil mais propositivo, mas isso não existe. Temos candidatos a ocuparem o posto do Olavo tentando repetir o que Olavo fazia, da mesma maneira. Mas até pra isso eu tenho minhas dúvidas, pois esses candidatos a novo Olavo se perdem no excesso de ego. 

Acredita que Olavo será imortalizado pela direita?

Tenho minhas dúvidas. Hoje em dia tudo é motivo para tretas nas redes sociais. Receio que em vez de imortalizarem a figura de Olavo, respeitarem a sua história e explorarem o material que ele deixa disponível, resolvam usar Olavo como mais um motivo para tretas nas redes sociais. É sabido que se depender dos progressistas é justamente isso que vai acontecer, mas os direitistas são apaixonados por tretas e, em sua maioria, fazem de tudo para participar de alguma, até mesmo sobre aquilo que não deveriam tretar, o que, vale lembrar, é muito diferente de discordar e debater saudavelmente.

E como você enxerga a maneira a qual a grande mídia brasileira tratou Olavo de Carvalho nesses últimos anos?

O Brasil passa por um momento em que está muito difícil encontrar alguém que faça análise séria, honesta e equilibrada, principalmente nos assuntos com envolvimento político. Ou você é apaixonado e só enxerga pontos totalmente positivos, ou você nutre ódio e enxerga a reencarnação do diabo. Para considerável parte da mídia brasileira, Olavo e Bolsonaro são reencarnações diabólicas e só merecem ódio, desprezo e ironias. Então não dá pra levar a sério as opiniões desses jornalistas da mesma forma que não dá pra levar a sério a opinião de quem segue Olavo e Bolsonaro de forma apaixonada. 

Olavo de Carvalho é o guru do bolsonarismo?

Não. Acredito que o olavismo e o bolsonarismo são dois fenômenos que aconteceram paralelamente, ao mesmo tempo, se encontraram e se uniram na eleição de 2018. Mas o público do Bolsonaro é muito mais abrangente e reuniu, principalmente na época do pleito, uma gama de eleitores que desconhecia, desprezava ou até odiava Olavo de Carvalho. Portanto é falso que Bolsonaro foi eleito graças ao Olavo. Pergunte a um intervencionista, daquele bem fanático pela volta dos militares, o que ele acha sobre Olavo. É capaz dele demonstrar mais ódio ao Olavo até mesmo do que a esquerda, pois Olavo sempre criticou bastante os militares e o seu positivismo, o que é inaceitável para os intervencionistas.

E qual dos dois viu o seu público sofrer mais mudanças desde as eleições?

Jair Bolsonaro, sem dúvida nenhuma. É muito mais difícil ser presidente do Brasil do que escritor, professor e youtuber. Enquanto Olavo viu seu público crescer, mas não creio que tenha sido um salto muito grande, Bolsonaro viu seu público se fragmentar e vários blocos se afastarem. Os liberais e os lavajatistas, por exemplo, não estão mais com Bolsonaro. Boa parte dos que são apenas antipetistas também não estão. Acredito que atualmente só permaneceu com o presidente aquele seu público mais fiel, que o acompanha desde os idos de 2014 e 2015.

E os intervencionistas? 

Permanecem com Bolsonaro, mas de forma blasé, pois eles não queriam um presidente da república, mas sim alguém que fechasse Congresso e STF pra instaurar a volta do Regime Militar. Eles não acreditam na política e acham a disputa esquerda e direita algo inútil para a forma que eles enxergam o Brasil.


0 Comentários