''Para ser líder da direita, é preciso fundar um partido'', diz analista político


Por Wilson Oliveira

A forma que o presidente Jair Bolsonaro encontrou para explicar o seu ingresso ao PL e a aliança com o centrão foi fazendo a seguinte afirmação: "Vocês votaram num cara do centrão".

O ano de 2022 é eleitoral, motivo que por si só mexerá bastante com o sentimento de todos os eleitores brasileiros. Com os direitistas não será diferente. Por isso, O Congressista realizou a segunda entrevista com o analista político Rodolfo Quintella para tratar do assunto. 

LEIA TAMBÉM

Na conversa a seguir, Quintella revela acreditar que Bolsonaro está "de saco cheio" de ser presidente do Brasil e de ser líder da direita brasileira por não apresentar o perfil adequado para exercer esses tipos de funções. 

Rodolfo Quintella também comentou o que ele espera de alguém para ocupar essa função de liderança entre os direitistas brasileiros. Confira o bate-papo abaixo: 

Bolsonaro disse que seus eleitores votaram em um cara do centrão. Ele renunciou a liderança da direita?

Acredito que os apoiadores que são fechamento total vão entender isso como declaração estratégica e quem não é fechamento total vai ver como algo óbvio. Mas enxergo nessa declaração muito mais do que uma renúncia a liderança da direita, acho que Bolsonaro está de saco cheio de ser presidente.

E por que acredita que ele está de saco cheio da presidência?

É fácil perceber que o Bolsonaro não foi feito para organizar tanta coisa por tanto tempo, com tanta formalidade. O Bolsonaro é o tiozão do churrasco, da pesca, que senta na mesa com os amigos e fica falando o que bem entende. O cargo ideal para ele na política é deputado ou vereador. Eu duvido que ele tenha vontade de ser governador ou de voltar a ser presidente quando acabar esse seu governo.

Dizer que é um cara do centrão não pode ser parte da estratégia para composição de chapa em 2022?

Para ser bem sincero, não acredito. Como um cara do centrão, ele sabe que esse tipo de declaração não vai encher a barriga de ninguém do próprio centrão. Eles querem espaço no governo, ministério, indicações, eleger seus afilhados, emendas, verbas. Bolsonaro poderia se colocar como comunista, liberal, conservador, o que fosse, mas dando essas coisas que eu citei, o centrão estaria totalmente feliz com ele. Por isso repito, vejo nessa declaração um esgotamento com a presidência e uma saudade dos tempos de deputado federal.

Deputado federal sem liderança?

Liderança do bolsonarismo pode ser, pois para isso ele não precisa fazer nada, basta ser o que ele é. Mas creio que ser líder da direita não anime tanto Bolsonaro. Na verdade, acho que nunca animou. Bolsonaro gostava de ser aquele deputado federal que dava suas opiniões fortes e autênticas e era ovacionado por uma grande quantidade de pessoas. Quando ele foi alçado ao posto de presidente da república e líder da direita brasileira, fica nítido que ele passou a ser uma pessoa mais abatida, mais cansada e mais estressada. 

Liderar a direita no Brasil também não se torna mais difícil pelo fato dessa própria direita ainda não estar totalmente formada?

Era essa a missão que Bolsonaro deveria desenvolver em primeiro lugar como líder da direita. Mas além dele não ter aptidão para esse tipo de atividade a meu ver, ainda tem o fato dele ter que governar o Brasil. 

Acredita que surgirá alguém para liderar a direita no Brasil? 

Acho que passaremos a ter esse espaço para ser preenchido. E dizem que na política nenhum espaço fica sem preenchimento, porém ainda não vejo nenhum nome que possa exercer esse papel com aceitação dos direitistas. Acho que muitos vão tentar tirar vantagem, se autopromover, tentar virar líder da direita à força, mas nessas condições tenho certeza que nenhuma liderança vai vingar. 

As redes sociais podem ajudar no surgimento desse novo líder?

Se surgir um novo líder, não tenho nenhuma dúvida que sairá das redes sociais. Pode até ser alguém que já está na política, como aconteceu com Jair Bolsonaro, mas para um político se tornar um líder, nos dias de hoje, ele precisa bombar - pra usar um termo bem virtual - nas redes sociais. Dificilmente será com projetos durante algum mandato ou com declarações padrões em entrevistas na mídia tradicional.

Pode ser um youtuber?

Poder, pode. Mas teria que surgir alguém que ainda não surgiu. Os youtubers atuais de direita estão interessados em ganhar dinheiro no YouTube. Quer ver os youtubers de direita realmente ficarem irritados? É tirar monetização ou engajamento dos seus vídeos. Se você for olhar, o objetivo deles não é construir uma base para a direita brasileira, apesar deles falarem isso, mas sim vender curso, vender livro, aumentar o número de inscritos, receber doação etc. Alguém para ser líder de direita precisa estar preparado para fundar um partido político, por exemplo. É algo que não vai dar dinheiro, ao contrário, vai fazer a pessoa ter muitos gastos. E também vai dar muitíssimo trabalho. O próprio Bolsonaro já declarou ter desistido do Aliança pelo Brasil por esse motivo. 


0 Comentários